Noticias

Glutamato monossódico não faz mal, mas por que é considerado vilão?

Glutamato monossódico
Foto: iStock

Descoberto no início do século 20 no Japão, o glutamato monossódico (também chamado de MSG) é bastante usado na culinária asiática e está presente em diversos alimentos industrializados.

+Filme gratuito explora a importância do dashi na cozinha japonesa
+Umami: aprenda a usar o quinto gosto na sua cozinha
+Aprenda a identificar azeites falsificados ou com defeitos

Ele atua como realçador de sabor e é encontrado naturalmente em cogumelos, carnes, queijos e produtos curados, como o parmesão e o presunto cru. Apesar disso, ele ainda é considerado prejudicial por muitas pessoas.

A má fama do MSG surgiu em artigo de 1968, publicado no New England Journal of Medicine e assinado pelo pesquisador Robert Ho Man Kwok, que relatou dores de cabeça e náuseas após um jantar acompanhado de bebidas alcoólicas com amigos.

Mesmo sem apresentar evidências científicas, o texto se espalhou rapidamente, apontando o glutamato monossódico como um dos principais causadores dos sintomas.

A polêmica levou pesquisadores de diversos países a investigar o ingrediente – até o momento, porém, os estudos realizados não encontraram indícios de que o MSG faça mal à saúde.

Em 2018, após uma extensa revisão de artigos, o glutamato monossódico foi retirado da Classificação Internacional das Cefaleias (ICHD-3, International Classification of Headache Disorders), que elenca as substâncias que provocam enxaqueca.

A lista foi publicada no Reino Unido pela Sociedade Internacional de Dor de Cabeça (International Headache Society), organização que reúne mais de mil profissionais da área da saúde com o objetivo de propor avanços na ciência relacionados à doença.

A segurança alimentar do MSG também é confirmada pelos órgãos reguladores de vários países, entre eles a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a Food and Drug Administration (FDA, dos EUA) e a JECFA, comitê da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Então, qual o problema?

Em entrevista à revista Science Focus, publicada pela rede britânica BBC, o geneticista Giles Yeo, da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, explicou que o glutamato monossódico ainda é muito associado a alimentos ultraprocessados e pouco saudáveis, como salgadinhos, embutidos industriais salsichas, entre outros.

“Mas é um mito, o MSG tem apenas sódio (presente no sal de cozinha) e ácido glutâmico. Assim como o sal, uma pequena quantidade é perfeitamente segura”, afirmou.

(*) Da redação da Menu

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Garçonete demitida por ciúmes agora fatura com fotos sensuais
+ Chef Henrique Fogaça fecha restaurante no RJ e demite 200 funcionários
+ Torta de sorvete é sobremesa para fazer no fim de semana