Noticias

Funcionário do McDonald’s diz que superior ejaculou sobre ele

Foto: iStock

O Ministério Público do Trabalho (MPT) está investigando a Arcos Dorados, empresa que representa o McDonald’s no Brasil, por casos de assédio sexual, racismo e outros abusos realizados dentro das unidades da rede de fast-food.

+Cozinheira escreve pedido de socorro em guardanapo para fugir de assédio
+Filha de Gordon Ramsay revela em podcast que sofreu abuso sexual
+McDonald’s processa ex-CEO por relação sexual com funcionárias
+Restaurante de NY fecha por acusações de assédio sexual

Os casos foram reunidos através da campanha global “Sem Direitos Não É Legal”, que atende especificamente trabalhadores do McDonald’s no Brasil, e enviados pela União Geral dos Trabalhadores ao MPT.

Uma das denúncias que constam nesse conjunto é a do funcionário Gabriel, de 19 anos, que relata assédio sexual por parte de seu superior, em uma unidade em Curitiba (PR), no começo deste ano.

Segundo Gabriel, seu chefe o abordava no banheiro e na área de almoço. No pior dos episódios, o superior teria ejaculado sobre o funcionário, que cochilava durante sua pausa para a alimentação.

Por meio de nota, a Arcos Dourados diz que “colabora ativamente” com a investigação, “apresentando todas as informações solicitadas”. As informações são de reportagem da Folha de S.Paulo.

(*) Da redação da Menu

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Garçonete demitida por ciúmes agora fatura com fotos sensuais
+ Chef Henrique Fogaça fecha restaurante no RJ e demite 200 funcionários
+ Torta de sorvete é sobremesa para fazer no fim de semana