Coluna

Lavash, primeira rede exclusiva de comida armênia do Brasil, abre restaurantes

Lavash, primeira rede exclusiva de comida armênia do Brasil, abre restaurantes
Lavash, primeira rede exclusiva de comida armênia do Brasil, abre restaurantes

A cidade de Campinas, no interior de São Paulo, foi a escolhida para receber os dois primeiros restaurantes da rede Lavash, a primeira voltada exclusivamente à culinária armênia no Brasil.

+Veja mais destaques da colunista Paty Moraes Nobre
+Coxinha crocante de cupim é invenção deliciosa que achamos na Picanharia dos Amigos
+Sal e algas no drinque com frutos do mar na brasa; as surpresas deliciosas do Naia

A marca faz parte do portfólio da Companhia Gastronômica, fundo destinado à gastronomia, que deve inaugurar outras três casas até o fim do ano, todas localizadas em shopping centers.

O chef é Simon Gbrail Kazanjian, nascido e criado em Aleppo, na Síria. Ele comanda desde a criação das receitas até a escolha dos ingredientes e a apresentação dos pratos. Morando no Brasil há 4 anos, passou por restaurantes na Armênia e Ucrânia, e cria receitas tradicionais da região e outras com temperos especiais passados de geração.

Instagram will load in the frontend.

É possível conhecer os sabores, por exemplo, nos pratos Kashlama, uma costela de cordeiro com legumes cozidos na cerveja, ou Rhapama, arroz cozido na abóbora com nozes e frutas, um prato festivo servido em casamentos e passagem de ano.

A comida armênia é milenar – a fundação da Armênia data de antes de Roma -, e é uma mistura dos costumes e da cultura de vários povos do Oriente Médio e da região do Mediterrâneo, como turcos, sírios, libaneses, gregos e árabes. As receitas árabes, aliás, são as mais parecidas com as armênias, e é possível ver as dolmas (charuto de folha de uva ou repolho), kaftas, esfihas, kibes e pastas como babaganush e coalhada seca.

Instagram will load in the frontend.

A diferença está principalmente no tempero: no lugar dos sabores mais intensos, o sabor da culinária armênia está no uso de ervas aromáticas, assim como muitas frutas, vegetais e nozes.

Hoje, cerca de 100 mil armênios e descendentes residem em território brasileiro; a maioria mora em São Paulo. Segundo a filial brasileira da União Geral Armênia de Beneficência (UGAB), eles vivem principalmente na região dos bairros da Luz e Santana, além de cidades da região metropolitana, como Osasco.

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Garçonete demitida por ciúmes agora fatura com fotos sensuais
+ Chef Henrique Fogaça fecha restaurante no RJ e demite 200 funcionários
+ Torta de sorvete é sobremesa para fazer no fim de semana