Coluna

Fim da polêmica do poke: qual é o jeito certo de comer o preparo?

Fim da polêmica do poke: qual é o jeito certo de comer o preparo?
Fim da polêmica do poke: qual é o jeito certo de comer o preparo?

Há cerca de cinco anos, desde que me convenci a provar o primeiro poke, num bowl com arroz frio sob cubos de peixe, algas e vegetais, tento compreender o que há de tão especial nesse preparo que caiu rápido no gosto dos brasileiros. Existe jeito certo de comer o preparo?

+Veja mais destaques da colunista Paty Moraes Nobre
+Única taça é perfeita para vinhos tinto, rosé, branco e até espumante

A dúvida é realmente polêmica e divide opiniões. Quando digo “divide” é porque separa mesmo, em dois times, os fãs do poke.

Qual é o jeito certo de comer poke?
Com a palavra, Ricardo Bottura, sócio-proprietário do Let’s Poke, que produz, aproximadamente, 6,8 toneladas de arroz cozido para cerca de 40 mil unidades de pokes por mês.

“Não existe jeito certo. Fizemos uma enquete em nosso Instagram e o resultado foi um empate técnico: 58% indicaram que preferem misturar tudo e 42% responderam que preferem comer os ingredientes separadamente”, conta Ricardo, que, no entanto, indica o melhor jeito de montar o bowl. “É dispondo todos os ingredientes sobre o arroz e organizando lado a lado para que a pessoa possa escolher a sua maneira de comer”.

Qual é a origem do poke?
E as polêmicas em torno desse prato não param por aí. De acordo com o empresário, existem duas versões para a origem. “Alguns acreditam que o poke surgiu há mais de um século com os polinésios, povo nativo do Havaí. Eles preparavam uma refeição à base de peixe temperado com sal do mar, algas marinhas e candlenut moído (uma noz nativa do Havaí). Outros dizem que o poke surgiu no Havaí nos anos 60, quando pescadores preparavam um prato caseiro de peixe cru em cubos misturado com arroz e ingredientes locais”, explica.

Queijo não combina com poke
Outra curiosidade é que existe um ingrediente que não “casa” bem na montagem do prato: o queijo. “Apesar disso, poke é um alimento muito versátil e você pode criar a sua combinação pessoal, escolhendo os ingredientes que mais gosta, portanto não existe um ingrediente proibido”, opina ele.

Qual é o jeito certo colocar shoyu e tarê no poke?
Uma coisa é certa: o poke é um prato. “Mas ele pode conter elementos de salada. Um poke lowcarb pode ser montado com mix de folhas no lugar do arroz, por exemplo”, acrescenta Ricardo, que indica colocar shoyu ou tarê em pequenas doses por cima da proteína, depois do poke montado.

Tem alguma dúvida ou curiosidade gastronômica? Manda pra mim por direct ou comentário aqui.

(*) Da redação Menu

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Garçonete demitida por ciúmes agora fatura com fotos sensuais
+ Chef Henrique Fogaça fecha restaurante no RJ e demite 200 funcionários
+ Torta de sorvete é sobremesa para fazer no fim de semana