Coluna

Masterchef: Jacquin confunde com explicação de Porterhouse e T-bone; entenda diferença

No episódio do “Masterchef” exibido na Band, na noite dessa terça-feira (3), o jurado e chef Erick Jacquin tentou explicar o que é o Porterhouse, corte dado aos participantes no primeiro desafio, mas a fala ficou confusa. Além disso, no site do programa, o corte é classificado como Porterhouse, mas, no perfil do Instagram da atração, aparece como T-Bone. Afinal, qual é a diferença?

+Veja mais destaques da colunista Paty Moraes Nobre

“Ele é um desafio muito grande. Ele é muito difícil de fazer. É o Porterhouse. É um T-bone maior”, disse ele. “Tem o contrafilé, um pedaço da alcatra e um filé mignon. Difícil de fazer porque os cortes são diferentes”, emendou ele, destacando a alcatra como parte necessária da peça.

Era uma boa oportunidade, que foi desperdiçada, para orientar sobre as classificações dos cortes. A produção do programa poderia, por exemplo, ter levado um açougueiro profissional para serrar uma peça inteira na frente dos competidores e do público. Afinal, melhor do que falar, é mostrar. Quem sabe numa próxima vez?

“Um Porterhouse é um T-bone maior? Não necessariamente! Pra ser um Porterhouse, além de ser um T-bone mais espesso, precisa ter uma porção maior de filé mignon”, orienta o especialista Germano Buzzo, da boutique de carnes Feed. “O que também não quer dizer que cortar o T-bone (com porção menor de filé mignon) mais grosso faz a peça virar um Porterhouse”, acrescenta.

Um ponto interessante é que, no restaurante, por exemplo, não dá pra reclamar se você pedir um Porterhouse e ele vier com dois dos três possíveis cortes! O mesmo não acontece com a Bisteca Fiorentina, que precisa necessariamente ter a alcatra para ser considerada como tal.

De forma resumida, da traseira para o dianteiro do animal, os cortes são alcatra, contrafilé e filé mignon, que vai diminuindo:

Bisteca Fiorentina: é o corte da parte mais posterior do animal com osso em forma de T, com contrafilé, alcatra (necessariamente) e o filé mignon. E só é possível extrair uma peça de cada lado do animal.

Porterhouse: é o segundo corte do lombo (parte traseira) do animal com osso em forma de T, de espessura grosa, com contrafilé e uma grande parte de filé mignon, podendo ou não ter a alcatra.

T-bone: é o primeiro corte do lombo (parte traseira) do animal com osso em forma de T, de espessura mais fina, com contrafilé e uma parte menor de filé mignon.

Sendo assim, a Bisteca Fiorentina é sempre um Porterhouse, mas nem sempre um Porterhouse é uma Bisteca Fiorentina.

Neste episódio da série “Churrasco de Cinema”, quando aprendi (finalmente!) a diferença. Assista a seguir:

Bigstockphoto.com(*) Da redação Menu

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Garçonete demitida por ciúmes agora fatura com fotos sensuais
+ Chef Henrique Fogaça fecha restaurante no RJ e demite 200 funcionários
+ Torta de sorvete é sobremesa para fazer no fim de semana