Noticias

Donos de restaurantes de SP defendem exigência de comprovante de vacinação

Foto: iStock

O Sindicato de Restaurantes, Bares e Similares de São Paulo e Região (Sindresbar-SP), que representa os empresários do setor, defendeu a exigência de comprovante de vacinação contra a covid para que clientes e funcionários possam frequentar os estabelecimentos.

+Variante Delta da covid faz restaurantes dos EUA barrarem clientes não vacinados
+Restaurante de NY é elogiado por se recusar a servir clientes sem vacina
+Domino’s dá pizzas para quem tomou 2ª dose da vacina contra covid

“Somos favoráveis à vacinação em massa e ponto final. É o único jeito de proteger as pessoas”, afirmou Sylvio Lazzarini, CEO do Varanda Grill e associado ao Sindresbar, em entrevista à Menu.

Lazzarini ressalta que a restrição é fundamentada em estudo realizado pelo Ministério Público do Trabalho. Outras cidades ao redor do mundo também estão adotando a medida.

Nesta semana, por exemplo, a cidade de Nova York (EUA), que registrou aumento de casos de covid-19 por causa da variante Delta do novo coronavírus, anunciou que será obrigatório apresentar um comprovante de vacinação para entrar em bares, restaurantes e academias.

Segundo Lazzarini, houve uma tentativa recente de acordo com para, pelo menos, tornar obrigatória a vacinação dos funcionários do segmento de bares e restaurantes.

O Sinthoresp, sindicato que representa esses trabalhadores, porém, alegou que precisa realizar uma assembleia com seus filiados antes de anunciar uma decisão.

O acordo prevê que os funcionários que se recusarem a se vacinar contra o coronavírus poderão ser advertidos e até demitidos por justa causa, caso não apresentem uma justificativa.

Desde o último domingo (1º), bares e restaurantes do Estado São Paulo passaram a operar com 80% de sua capacidade total. A partir do dia 17, os estabelecimentos voltarão a funcionar com 100% da capacidade.

O uso de máscaras e outros protocolos de higiene dentro destes locais, porém, continuam sendo obrigatórios e não há prazo para que sejam suspensas.

(*) Pedro Marques, editor da Menu

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Garçonete demitida por ciúmes agora fatura com fotos sensuais
+ Chef Henrique Fogaça fecha restaurante no RJ e demite 200 funcionários
+ Torta de sorvete é sobremesa para fazer no fim de semana