Noticias

Restaurantes de SP pedem ICMS menor para comida e maior para bebidas

Foto: iStock

O SindResBar, sindicato que representa os donos de bares e restaurantes de São Paulo, está tentando negociar novas alíquotas de ICMS com o governo estadual. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

+Donos de restaurantes de SP defendem exigência de comprovante de vacinação
+Secretário de Saúde da BA xinga chef de cozinha de ‘vagabunda’
+Restaurante de NY é elogiado por se recusar a servir clientes sem vacina

De acordo com a proposta enviada pela entidade, a ideia é que imposto, atualmente em 18%, tenha alíquota menor para as refeições e maior para as bebidas alcoólicas.

No começo do ano, os estabelecimentos enquadrados no regime especial de tributação passaram de um imposto estadual de 3,2% para 3,69% da receita bruta.

Segundo Sylvio Lazzarini, diretor do sindicato, a ideia é reduzir o valor para 3% nos alimentos e aumentar para 4% nas bebidas. “Comer é uma necessidade. Mas tomar um vinho ou um uísque é opcional”, afirma ele.

Lazzarini argumenta que, além dos prejuízos causados pela pandemia do novo coronavírus, o setor enfrenta uma forte inflação nos preços das carnes, somado ao impacto do ICMS.

À Folha, o governo de SP informou que os bares e restaurantes desfrutam de regime especial de tributação e que a alíquota padrão de ICMS no Estado é de 18%.

Mesmo assim, a Secretaria da Fazenda afirmou que o pedido do SindResBar está sendo analisado pela área técnica.

(*) Da redação da Menu

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Garçonete demitida por ciúmes agora fatura com fotos sensuais
+ Chef Henrique Fogaça fecha restaurante no RJ e demite 200 funcionários
+ Torta de sorvete é sobremesa para fazer no fim de semana