• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Anuncie
Revista Menu
MenuMenu
FECHAR
  • Home
  • Receitas
  • Últimas
  • Comidas
  • Bebidas e Drinks
  • Menu Testa
  • Siga-nos:Facebook
Notícias28/03/2022

Denúncias do “golpe da fruta” trazem prejuízos ao Mercadão de SP

Golpe da fruta no Mercadão é tática abusiva, afirma Procon-SP (Foto: iStock)

Golpe da fruta no Mercadão é tática abusiva, afirma Procon-SP (Foto: iStock)

Pedro Marques
Texto por:Pedro Marques28/03/22 - 16h28min

As denúncias sobre o golpe da fruta no Mercado Municipal de São Paulo não causaram prejuízos apenas para as bancas suspeitas de prejudicar os consumidores.

+Vendedores do Mercadão de SP ameaçam clientes com golpe da fruta
+Golpe da fruta no Mercadão é tática abusiva, afirma Procon-SP
+Depois do golpe da fruta, comerciantes do Mercadão são acusados de golpe da mortadela
+Mercadão de SP interdita boxes acusados de praticar o golpe da fruta
+Procon-SP autua 11 boxes do Mercadão de SP por causa do golpe da fruta
+Frutas no Mercadão de SP custam até seis vezes mais que na Ceagesp

Mais de um mês depois de os primeiros casos terem sido denunciados, a maioria dos comerciantes tem relatado que o movimento está mais fraco e que as vendas, em geral, caíram.

"A gente achou que ia se recuperar do que a pandemia nos causou, ficamos fechados por um tempo e, agora que estava tudo indo para frente, veio isso”, lamentou um vendedor que preferiu não se identificar em entrevista ao site R7.

Também tem crescido nas redes sociais o número de pessoas dizendo que não tem mais intenção de visitar um dos principais destinos turísticos da capital paulistana.

"Fui nesse mercado, me ofereceram uma fruta importada, o preço era um absurdo. Quando desisti, fui xingado e os vendedores debocharam de mim, isso intimida demais", escreveu o internauta Rodrigo Saborgi.

Além do golpe da fruta, funcionários do Procon-SP também estão investigando o "golpe da mortadela". Há suspeitas de que lanchonetes comprem mortadelas de marcas mais baratas, mas vendam como se fossem de marcas mais caras.

Na quarta-feira passada (23), funcionários do Procon estiveram no Mercadão e fiscalizaram 46 estabelecimentos. Desses, 18 foram autuados por desrespeitar o Código de Defesa do Consumidor. A falta de informação do preço foi o problema mais comum.

(*) Da redação da Menu

Saiba mais
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Vídeo: Por causa de dívida, mulher joga gasolina e ateia fogo em idoso
+ Como limpar capinha de celular transparente de 5 maneiras
+ Cientistas descobrem as causas da progressão do Alzheimer no cérebro
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
Como é feito o pão com mortadela de São Paulo?