Comidas

Dominique Crenn é primeira mulher dos EUA a receber três estrelas Michelin

Dominique Crenn é a primeira chef mulher dos Estados Unidos a receber as três estrelas Michelin (Foto: Reprodução/Flickr)

da Redação da Menu

A edição de 2019 do Guia Michelin para a área da baía (Bay Area) de São Francisco foi divulgada na última semana com uma novidade marcante no mundo da gastronomia: Dominique Crenn, chef do Atelier Crenn, recebeu a terceira estrela, tornando-se a primeira mulher dos Estados Unidos a receber a honraria.

“É uma plataforma que eu tenho agora. Eu preciso inspirar outras e fazer a diferença”, declarou a chef em entrevista ao The New York Times.

Outro destaque da edição é o Single Thread, comandado por Kyle e Katina Connaughton, que ganhou a honraria máxima do Guia com apenas dois anos de vida. Ao todo, são oito restaurantes na região que possuem as três estrelas, número mais alto do que qualquer metrópole, a exceção de Paris e Tóquio.

E o número só não é maior porque o restaurante Coi, que atingiu o patamar do Guia de 2018, caiu novamente para o segundo escalão. Há ainda cinco novos estabelecimentos com uma estrela: Madcap, Birdsong, Nico, Protégé e Bar Crenn, esse último também comandado pela chef Dominique Crenn.

Saiba mais
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Vídeo: Por causa de dívida, mulher joga gasolina e ateia fogo em idoso
+ Como limpar capinha de celular transparente de 5 maneiras
+ Cientistas descobrem as causas da progressão do Alzheimer no cérebro
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio