• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Anuncie
Revista Menu
MenuMenu
FECHAR
  • Home
  • Receitas
  • Últimas
  • Comidas
  • Bebidas e Drinks
  • Menu Testa
  • Siga-nos:Facebook
Notícias18/07/2022

Entenda por que está faltando chocolate nos supermercados

Foto: iStock

Foto: iStock

Pedro Marques
Texto por:Pedro Marques18/07/22 - 18h58min

Há menos chocolate à venda nos supermercados brasileiros. Essa é uma das mudanças registradas pelo Índice de Ruptura da Neogrid, que reúne dados de cerca de 80% das maiores redes varejistas do País.

+Vídeo: Ação em supermercados culpa Bolsonaro pela inflação dos alimentos
+Cerveja vai ficar mais cara em bares e restaurantes a partir de agosto
+Venda de sobras é ‘forma criativa de mostrar alternativas’, diz associação de supermercados

De acordo com o relatório, em maio deste ano a quantidade de chocolate disponíveis nos supermercados ficou 20,3% abaixo da média, em maio deste ano. É a maior baixa no estoque da categoria em três anos: em maio de 2020, a oferta do doce foi 17,8% menor que a média.

Além disso, menos pessoas estão comprando o produto. Em abril, com a Páscoa, o chocolate apareceu em 14% das vendas dos supermercados. No mês seguinte, a proporção foi de 9,5%. A Neogrid não divulga números absolutos de estoque e venda.

De acordo com Robson Munhoz, diretor de sucesso do cliente da Neogrid, a situação acontece por causa da inflação dos alimentos, especialmente de leites e derivados, que influenciam diretamente o custo de produção de chocolates.

Em supermercados frequentados por clientes de maior renda, o litro de leite tem sido vendido por até R$ 10. "Com menor poder de compra e produtos mais caros, o consumidor vai (preferir) comprar aquilo que é básico", explicou Munhoz em entrevista ao Estadão.

O preço médio do item aumentou 22,7% entre os meses de junho de 2021 e maio de 2022, segundo dados coletados pela empresa de inteligência de mercado Horus, que pertence à Neogrid.

Como o doce está saindo pouco, os varejistas reduziram seus estoques, dando prioridade a itens de alimentação essenciais, como arroz e feijão. "O mercado comprou menos porque acreditou que venderia menos por causa do aumento de preço e da dificuldade consumidor", acrescentou.

E não há prazo para a situação voltar ao normal, pelo contrário. Os produtores de chocolate continuam tentando repassar o aumento de preço aos varejistas e pode ser que o doce fique ainda mais caro nos próximos meses.

(*) Da redação da Menu

Saiba mais
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Vídeo: Por causa de dívida, mulher joga gasolina e ateia fogo em idoso
+ Como limpar capinha de celular transparente de 5 maneiras
+ Cientistas descobrem as causas da progressão do Alzheimer no cérebro
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
amaury guichon