Coluna

I❤️Xis: Lanche patrimônio de Caxias do Sul se recupera de episódio da carne de cavalo

Xis Salada e Xis 4x4 no Wolly (com alcatra, lombo suíno, frango e até coraçãozinho)
Xis Salada e Xis 4x4 no Wolly (com alcatra, lombo suíno, frango e até coraçãozinho). Foto: Cris Laurentiz/Snap_mkt

Um lanche sem comparação, feito no pãozão, com hambúrguer e muito recheio: esse é o tradicional xis de Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul. Considerada patrimônio gastronômico da cidade, a releitura exageradamente deliciosa do cheeseburger  salada é amada por moradores e turistas, mas teve a imagem abalada após um escândalo de comercialização de carne de cavalo abatida e vendida ilegalmente na região.

“Algumas semanas atrás, o Ministério Público Estadual constatou que uma quadrilha abatia ilegalmente animais sem as mínimas condições de higiene. Principalmente, cavalos, que eram comprados por preços baixíssimos por uma pessoa que fazia hambúrgueres para serem vendidos nas hamburguerias da cidade”, contou Micael Canuto, sócio da famosa Wolly Burguer, à coluna. “O impacto foi grande, as imagens são fortes e duas hamburguerias que compravam foram identificadas”, emendou o empresário. “Período difícil porque abalou a confiança no setor inteiro”, completou. Por isso, enquanto todos os envolvidos não forem identificados, o prejuízo será grande para a imagem do xis e o caixa dos bons estabelecimentos.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Revista Menu (@revistamenu)

Recuperação da confiança
A paixão do caxiense pelo produto é tão grande que Mica, como é chamado na cidade, criou a campanha “I Love Xis”. É fácil ver adesivos nos carros e a camiseta com a frase tem muitos fãs. “Estamos há mais de 24 anos no mercado e existem casas com mais de 50 anos de tradição. Temos muita coisa boa feita aqui”, reflete, sobre o movimento de recuperação da confiança da população.

E com o xis do caxiense não se brinca. Perto dele, o hambúrguer norte-americano convencional parece um “mini burguer”.

“O que define a qualidade do produto é ter boa procedência, fornecedores com certificação das agências sanitárias e a compra com nota fiscal. Além disso, temos uma equipe nutricional que nos assessora, indo até fornecedores de carne e verificando nossas compras. E, claro, chegando na loja, avaliamos se está bem embalada, higienizamos, acondicionamos em freezer ou refrigerador e manipulamos em ambientes refrigerado”, lista Mica, que instalou uma sala de carnes, onde cortam, temperam e porcionam as proteínas animais.  “Produzimos o nosso hambúrguer desde 1997 artesanalmente e, no início deste ano, investimos em uma máquina para melhor ainda mais nossos processos”, orgulha-se o gaúcho, que também fabrica a maionese da casa com os mesmos critérios rigorosos no próprio estabelecimento.

Na lista dos hambúrgueres preferidos, o xis é um dos mais saborosos e, com certeza, o mais generoso, que já provei. Destaque para os diferentões Xis 4×4, que leva quatro carnes, quatro queijos e batata palha (R$ 36,50) e o Xis Coração, com coraçãozinho de galinha (R$ 31).

Aliás, é bom orientar para quem ainda não esteve nessas bandas: no cardápio, carne de frango é chamada de “galinha”, carne bovina é “gado” e, a suína, “lombo”.

(*) Da redação Menu

 

 

Saiba mais
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Vídeo: Por causa de dívida, mulher joga gasolina e ateia fogo em idoso
+ Como limpar capinha de celular transparente de 5 maneiras
+ Cientistas descobrem as causas da progressão do Alzheimer no cérebro
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio