• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Anuncie
Revista Menu
MenuMenu
FECHAR
  • Home
  • Receitas
  • Últimas
  • Comidas
  • Bebidas e Drinks
  • Menu Testa
  • Siga-nos:Facebook
Notícias10/05/2022

Juiz inocenta chef Mario Batali em caso de agressão sexual

Juiz inocenta chef Mario Batali em caso de agressão sexual (Foto: Wikimedia Commons)

Juiz inocenta chef Mario Batali em caso de agressão sexual (Foto: Wikimedia Commons)

Pedro Marques
Texto por:Pedro Marques10/05/22 - 18h21min

A Corte Municipal de Boston inocentou o famoso chef de cozinha Mario Batali, de 61 anos, por causa de uma acusação de agressão sexual e lesão corporal contra Natali Tene, trabalhadora da área de softwares da região de Boston, de 32 anos.

+Restaurante de NY fecha por acusações de assédio sexual
+Acusado de assédio, Mario Batali deixa grupo de restaurantes

O caso aconteceu em 2017 e Natali acusou Batali de ter apalpado suas "áreas femininas sensíveis” atrás, em um bar em Boston, enquanto posava com ela para fotos. “Tudo aconteceu de maneira rápida”, disse a testemunha. “Essencialmente, a todo tempo houve toques em minhas áreas femininas sensíveis", disse ela, segundo reportagem do jornal Boston Globe.

O juiz James Stanton, no entanto, acatou a tese da defesa de Batali – os advogados do chef argumentaram que não havia sinais de assédio nas fotos. "Se ela tivesse sido tocada, ela não apareceria tão sorridente nas imagens", alegaram os advogados de defesa.

A defesa de Batali também levou à corte um caso de fraude praticado por Natali – em 2018, ela falsificou um comprovante de renda para obter um desconto de US$ 200 em uma academia.

Com isso, o juiz Stanton afirmou que a testemunha (Natali) "tem sérias questões de credibilidade" e a acusação não apresentou evidências suficientes para comprovar as alegações da pleiteante.

Nina Bonelli, assistente da promotoria de Suffolk que atuou na acusação contra Batali, reconheceu que Natali cometeu erros no passado, mas que seu testemunho e as provas apresentadas deveriam ser mais relevantes para o julgamento.

Já Kevin Hayden, promotor de Suffolk, informou por meio de comunicado que vai recorrer da decisão tomada nesta terça-feira. "Apesar de estarmos desapontados com o veredito, vamos continuar defendendo a vítima deste caso", afirmou Hayden.

(*) Da redação da Menu

Saiba mais
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Vídeo: Por causa de dívida, mulher joga gasolina e ateia fogo em idoso
+ Como limpar capinha de celular transparente de 5 maneiras
+ Cientistas descobrem as causas da progressão do Alzheimer no cérebro
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
agressão doméstica