• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Anuncie
Revista Menu
MenuMenu
FECHAR
  • Home
  • Receitas
  • Últimas
  • Comidas
  • Bebidas e Drinks
  • Menu Testa
  • Siga-nos:Facebook
Notícias02/06/2022

Justiça proíbe venda de alimentos com formatos ‘eróticos’ para menores

Justiça proíbe venda de alimentos com formatos 'eróticos' para menores (Foto: La Putaria/Instagram)

Justiça proíbe venda de alimentos com formatos ‘eróticos’ para menores (Foto: La Putaria/Instagram)

Pedro Marques
Texto por:Pedro Marques02/06/22 - 08h12min

Bolos, waffles e outras comidas com formatos "eróticos" agora estão proibidos de serem vendidos para menores de 18 anos. A decisão consta de despacho publicado nesta quarta-feira (1º) pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública.

+Confeitaria portuguesa que faz waffles de piroca e pepeca abre filial em BH

Segundo o despacho, a proibição vale para alimentos "que reproduzam ou sugiram o formato de genitálias humanas, ou partes do corpo (humano) com conotação sexual, erótica ou pornográfica".

A medida atinge diretamente os estabelecimentos La Putaria, com unidades no Rio e Belo Horizonte, Ki Putaria, de Salvador, Assanhadxs Erotic Food, de São Paulo, e La Pirokita, do Paraná, informa reportagem do UOL.

As empresas também terão que interditar os letreiros de suas unidades, incluindo os nomes das lojas, e retirar produtos que estejam em locais visíveis ao público. O despacho ainda exige a fixação de cartazes – dentro e fora das lojas – informando que menores de 18 anos não podem entrar nos estabelecimentos nem comprar produtos.

As empresas citadas têm até o dia 5 de junho para cumprir as medidas determinadas pelo Ministério da Justiça. Caso não respeitem as indicações, as lojas poderão ser multadas em R$ 500, e ainda poderão ser julgadas por sanções administrativas e penais, "incluindo-se a possibilidade de cassação de licença dos estabelecimentos e a suspensão da atividade".

Laura Postal Tirelli, responsável pela assinatura do despacho, pediu para o documento ser enviado à Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos "para conhecimento e adoção das providências cabíveis no que tange às supostas práticas infrativas".

O despacho também foi remetido aos Ministérios Públicos, Juntas Comerciais, Procons e Delegacias do Consumidor dos Estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo, Bahia e Paraná.

(*) Da redação da Menu

Saiba mais
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Vídeo: Por causa de dívida, mulher joga gasolina e ateia fogo em idoso
+ Como limpar capinha de celular transparente de 5 maneiras
+ Cientistas descobrem as causas da progressão do Alzheimer no cérebro
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
Assanhadxs Erotic Food