• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Anuncie
Revista Menu
MenuMenu
FECHAR
  • Home
  • Receitas
  • Últimas
  • Comidas
  • Bebidas e Drinks
  • Menu Testa
  • Siga-nos:Facebook
Bebidas14/04/2022

“Nariz eletrônico” identifica uísques falsos com mais eficiência que seres humanos

Foto: iStock

Pedro Marques
Texto por:Pedro Marques14/04/22 - 18h00min

Falsificações são mais comuns do que se no mundo da gastronomia, especialmente pela dificuldade do consumidor em reconhecer produtos de baixa qualidade. Mesmo os especialistas no assunto precisam de anos de treino para identificar com precisão produtos falsos.

+Vídeo: Ladrão toma uísque enquanto rouba bebidas de restaurante
+Falsificador de dinheiro turco morre após tomar bebida alcoólica falsificada

Os produtores de uísque, porém, estão perto de uma solução para o problema, graças a um "nariz eletrônico" desenvolvido por pesquisadores da Universidade de Tecnologia de Sidney, na Austrália, que consegue identificar quase que instantaneamente fraudes nesses destilados.

Ainda na fase de protótipo, o aparelho foi batizado de NOS.E reconheceu características únicas de marcas renomadas como The Macallan, Johnnie Walker, Ardberg e Chivas Regal com precisão nunca registrada até agora.

De acordo com os pesquisadores, a taxa de acerto do NOS.E foi de 100% para identificar a região em que as bebidas foram produzidas. Nos testes de identificação da marca, o índice de acerto do aparelho foi de 96,5%, enquanto o estilo do uísque foi corretamente reconhecido em 92% dos testes. Todos os resultados foram obtidos em menos de quatro minutos.

Para obter esse índice de eficiência, nariz eletrônico conta com oito sensores de aromas. As informações registradas são processadas por um algoritmo que cruza dados de vários uísques até chegar a um resultado.

"Até o momento, apenas profissionais com muitos anos de experiência eram capazes de detectar essas diferenças. A outra solução era investir em análises sensoriais complexas e demoradas feitas em laboratório", disse Steven Su, responsável por coordenar o estudo.

No futuro, afirmou Su, o NOS.E será capaz de reconhecer vinhos, perfumes falsificados e até mesmo doenças. O pesquisador, no entanto, não tem ideia de quando a tecnologia será lançada comercialmente.

(*) Da redação da Menu

Saiba mais
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Vídeo: Por causa de dívida, mulher joga gasolina e ateia fogo em idoso
+ Como limpar capinha de celular transparente de 5 maneiras
+ Cientistas descobrem as causas da progressão do Alzheimer no cérebro
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
Como é feito o Bourbon?