Noticias

Noodles congelado mata 9 pessoas da mesma família na China

Foto: iStock

da redação da Menu

Nove pessoas da mesma família morreram na China após comerem uma porção de noodles que estava guardada há mais de um ano no freezer, segundo uma reportagem do jornal estatal chinês Global Times.

+Jovem é suspeita de matar namorado por causa de pastel
+Funcionário de fast-food salva garoto de morrer enforcado
+Funcionário do Burger King é morto por causa de demora em pedido

Ao jornal, as autoridades informaram que a causa da morte foi intoxicação alimentar acidental. Com o tempo, os noodles desenvolveram um ácido tóxico chamado bongkrekic, que causou a morte do grupo.

As vítimas viviam na cidade de Jixi, no nordeste da China e comeram um prato chamado suantangzi, macarrão feito com milho fermentado, no dia 5 de outubro. Em poucas horas, todos estavam passando mal e foram hospitalizados.

No dia 11, oito pessoas do grupo morreram por causa da intoxicação por ácido bongkrekic. A nona pessoa morreu nesta segunda-feira (19).

Segundo o médico chinês Gao Fei, diretor do Centro de Controle e Prevenção de Doenças da província de Heilongjiang, o ácido bongkrekic causa danos graves a vários órgãos, como o fígado, rins, coração e cérebro. Ainda não existe um antídoto para a substância.

Saiba mais
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Vídeo: Por causa de dívida, mulher joga gasolina e ateia fogo em idoso
+ Como limpar capinha de celular transparente de 5 maneiras
+ Cientistas descobrem as causas da progressão do Alzheimer no cérebro
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio