Noticias

Pesquisadores dizem ter encontrado cura para a ressaca

Cientistas afirmam: Não há cura para a ressaca! (Foto: iStock)
Cientistas afirmam: Não há cura para a ressaca! (Foto: iStock)

da redação da Menu

Dor de cabeça, azia, má digestão e cansaço. Tem ressaca que parece doença. Pesquisadores finlandeses, porém, afirmam ter encontrado uma cura para aqueles que exageraram no álcool na noite anterior (ou dia, vai saber).

+Confira diferentes maneiras para curar a ressaca ao redor do mundo
+Receitas de comidinhas para curar a ressaca
+Inglês bebe por 12 horas e compra 189 pedaços de frango frito

O estudo foi conduzido pela Universidade de Henisque e pela Universidade do Leste da Finlândia e recrutou 19 homens. Os escolhidos passaram a noite inteira bebendo uma combinação de suco de cranberry e Kosenkorva, destilado finlandês.

O número de drinques ingerido pelos participantes foi determinado de acordo com o peso de cada um. Pessoas mais magras beberam menos, pessoas mais pesadas beberam mais. “Eles estavam realmente bêbados, mas ninguém estava intoxicado a ponto de cair”, disse o pesquisador Markus Metsälä, da Universidade de Helsinque.

Os pesquisadores então distribuíram três pílulas aos participantes: um placebo, uma com 600 mg do aminoácido L-cisteína e outra com 1.200 mg do mesmo aminoácido. No dia seguinte, aqueles que tomaram a dose mais alta disseram estar se sentindo melhores do que os outros.

Os que tomaram a dose de 600 mg também tiveram benefícios no dia seguinte, como redução da ansiedade. Já os que tomaram placebo, bem, esses acordaram com uma ressaca de respeito. “A L-cisteína ajuda a aliviar os sintomas e pode ser usada para tratar o vício em álcool”, afirmaram os envolvidos no estudo.

Outro fato curioso sobre esse estudo é que ele foi financiado pela empresa finlandesa Catapult Cat, que faz comida para gatos. A companhia também vende suplementos de L-cisteína para humanos.

No Brasil, é possível encontrar L-cisteína e sites de suplementos alimentares – a recomendação dos estudiosos, porém, é não tomar o produto sem consultar um médico antes. E não exagerar com a bebida, claro.

A pesquisa completa foi publicada no jornal acadêmico “Alcohol and Alcoholism”, da Oxford Academic.

Saiba mais
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Vídeo: Por causa de dívida, mulher joga gasolina e ateia fogo em idoso
+ Como limpar capinha de celular transparente de 5 maneiras
+ Cientistas descobrem as causas da progressão do Alzheimer no cérebro
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio