Noticias

Pub de 455 anos frequentado por escritores famosos vai à falência na Inglaterra

Foto: Divulgação

da redação da Menu

Fundado em 1566, o pub Lamb & Flag, em Oxford (Inglaterra), mudou apenas uma vez de endereço, em 1613. Desde então o local ficou conhecido por ter servido escritores do calibre de Charles Dickens (autor de clássicos como “Oliver Twist” e “Um Conto de Natal), J.R.R. Tolkien (“O Senhor dos Anéis) e C.S. Lewis (“As Crônicas de Nárnia”).

Infelizmente, o pub é mais uma das vítimas da pandemia do novo coronavírus. O bar, localizado próximo à prestigiada Universidade de Oxford, anunciou nesta sexta-feira (29) que encerrará suas atividades permanentemente.

“Como muitos outros negócios da indústria da hospitalidade, fomos duramente prejudicados pela pandemia”, disse Steve Elston, responsável pelo Lamb & Flag, por meio de um comunicado, afirmou o site “Food & Wine”. “A conta não fecha”, acrescentou .

Segundo o empresário, a comunidade local tentará transformar o prédio no qual o pub está localizado em um ponto histórico da região. “Um lugar com tanta importância e história não pode simplesmente desaparecer”, disse Dave Richardson, um dos diretores da Campaign for Real Ale (Camra), entidade que representa várias cervejarias britânicas.

Saiba mais
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Vídeo: Por causa de dívida, mulher joga gasolina e ateia fogo em idoso
+ Como limpar capinha de celular transparente de 5 maneiras
+ Cientistas descobrem as causas da progressão do Alzheimer no cérebro
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio